CAPA | CIDADES | EVENTOS | ARTIGOS | AÇÕES AFIRMATIVAS | LIVROS | QUALIDADE DE VIDA | AGRO | ESPECIAIS | VIAJAR
VIVER BEM | ENDEREÇOS | VÍDEOS | FOTOS | AUTOS | SAÚDE | CULTURA | EDUCAÇÃO | CIÊNCIA | MEIO AMBIENTE | ENERGIA | LIXO

METEOROLOGIA| QUEIMADAS | SINE | PROCON UBERLÂNDIA | DEFESA CIVIL | CEMIG | DMAE | CEP | CTBC | DETRAN'S | CINEMAS

FALE CONOSCO | EXPEDIENTE | ANUNCIE

Artigos
   
 
 

Educar sentimentos

sexta-feira, 16 julho, 2010 13:17

Paiva Netto

No último sábado, 3/7, tive a honra de comandar a sessão solene do 35o Fórum Internacional do Jovem Militante da Boa Vontade de Deus.

Na ocasião, a pedagoga Suelí Periotto, supervisora da Pedagogia da LBV, apresentou resumo do 8o Congresso Internacional de Educação da LBV, ocorrido nos dias 29 e 30 de junho e 1o de julho, na capital bandeirante.

O encontro reuniu renomados conferencistas sob o tema “Disciplina: um olhar além do intelecto”. Ao explanar, a professora Suelí destacou, entre outros relevantes pontos, a palavra de Sérgio Behnken, mestre em Psicologia pela PUC-Rio, professor de Psicologia e RH da Universidade Estácio de Sá e de pós-graduação da UBM (Barra Mansa/RJ), da Machado Sobrinho (Juiz de Fora/MG) e da Dom Bosco (Resende/RJ):

“Agradeço mais uma vez o que aprendi com a LBV. E faço questão de onde estiver falar disso, principalmente sobre a ideia de educar sentimentos. (...) Não basta trabalhar o corpo, com uma educação que valorize apenas a boa alimentação, a prática esportiva. Não adianta somente desenvolver o lado intelectual, com conceitos, conteúdo, se a gente não olhar também para o aspecto emocional dessa mente humana, a educação dos sentimentos. E só para dar um exemplo, às vezes numa conversa com um pai, você pergunta: como está o seu filho? E ele responde: está muito bem, porque tem boas notas na escola e não tem nenhuma doença.

Quando se aprofunda um pouco no diálogo, percebe-se que essa criança não tem um amigo, não consegue se relacionar com os colegas da rua, na sala de aula ninguém quer fazer trabalhos com ele. Então, está muito bem intelectualmente, fisicamente, mas na educação do sentimento, tão preconizada pela LBV, ele está mal. E isso acontece em qualquer nível, inclusive no superior. Alunos com o coeficiente de rendimento muito alto, com notas muito boas, não conseguem uma posição melhor no estágio, pois não alcançam aprovação naquela dinâmica de grupo onde se pode ver como eles interagem com outras pessoas. (...) São muito bons no aspecto racional, no conteúdo tiram notas altíssimas, mas desde o ensino fundamental não foram educados emocionalmente, que é o que a gente vê de bonito, de exemplar, dentro da LBV. Portanto, parabéns a todos!”.

ILUSTRES EDUCADORES
Meus agradecimentos ao professor Sérgio Behnken e aos demais brilhantes conferencistas que contribuíram para o sucesso desse evento da LBV. Lá estiveram o meu amigo de muitas décadas, o jornalista, escritor e ex-presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL) Arnaldo Niskier; Celso Antunes, psicopedagogo e mestre em Ciências Humanas pela Universidade de São Paulo (USP); Sílvio Manoug Kaloustian, gestor de programas do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef); Ervino Deon, secretário da Educação do Rio Grande do Sul; Helena Bomeny, subsecretária municipal de Educação do Rio de Janeiro, representando a secretária Claudia Costin; Fátima Pacheco, licenciada em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, Portugal; e a professora Anísia Villas Boas Sukadolnik, vice-presidente do Instituto Faça Parte e diretora do Centro de Voluntariado de São Paulo, representante da dra. Milú Villela, presidente do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), do Instituto Faça Parte e do Centro de Voluntariado de São Paulo (CVSP), que no ensejo foi homenageada pela LBV.

MAPREI
Tivemos ainda o lançamento da publicação especial Educação com Espiritualidade Ecumênica — o Manual da Pedagogia do Afeto e da Pedagogia do Cidadão Ecumênico, proposta pedagógica da LBV distribuída entre os congressistas. Dela faz parte o Método de Aprendizagem por Pesquisa Racional, Emocional e Intuitiva (MAPREI), metodologia própria, aplicada na rede de ensino e nos programas socioeducacionais da Instituição.
Como ressaltou o consagrado professor Niskier durante o Congresso: “Tenho certeza de que a LBV faz parte de uma nova pedagogia que se desenvolve em nosso país, que é a Pedagogia da Boa Vontade. Ela é ecumênica, democrática, estimulante”.

José de Paiva Netto - Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.com.brwww.boavontade.com

Brasil no Google Maps