Doe para manter a versão nacional       Assine a edição local de Uberlândia

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

#zikazero | CLIQUE AQUI, SAIBA MAIS E PARTICIPE | #zikazero
A sociedade mobilizada para vencer a luta contra o mosquito

Instituto Eu Quero Viver
sexta-feira, 24 setembro, 2010 14:23

Dois pesos e duas medidas

 
 
 

Coerente com o que disse aqui há algumas semanas, vou lamentar a execução de Teresa Lewis, americana, executada ontem com uma injeção letal numa prisão do estado da Virginia.

A semelhança com a iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani está no tipo de acusação, assassinato. A condenação imposta às duas, a morte. Uma no Irã seguindo os preceitos da sharia, conjunto de regras baseadas no Alcorão, como penas para diferentes tipos de crimes, que podem ser interpretados de acordo com a vontade de cada país ou corte. A outra nos Estados Unidos, um país cristão e que em algumas regiões acata a Lei de Talião, "olho por olho, dente por dente".

Os pedidos enviados ao presidente Mahmoud Ahmadinejad surtiram efeitos e a Corte iraniana, suspendeu a execução. Os pedidos enviados ao governador Bob McDonnell é à Suprema Corte dos Estados Unidos, não e Teresa Lewis, morreu.

O próprio presidente iraniano, tratou do assunto em seu pronunciamento na Assembleia Geral da ONU, em território americano.

O apelo aqui então não é para o perdão mas para a comutação da pena, de morte para perpétua, porque matando, cessam todas as esperanças de mudança.

Talvez Teresa e Sakineh tenham sido movidas pelo mesmo motor, cada uma delas segundo seus próprios valores interiores, uma fraqueza, da qual todo ser humano é passível e que cada um resolve do modo que lhe soa como o melhor. A verdadeira dor de cada uma dessas mulheres, vai dentro delas e ninguém será capaz de descobrir a ponta desse fio.

Os argumentos dos opositores da pena de morte ao Irã e aos Estados Unidos da Amérca são parecidos e o comportamento do Irã, pelo menos nesse caso, foi mais sensato.

Ninguém vai deixar de vender ou manter relações comerciais com os EUA por conta dessa execução, já o Irã sofreu protestos globais por conta da decisão que ia ser tomada. Dois pesos e duas medidas. Teresa Lewis, não mereceria uma segunda chance, tal qual aquela que se pede por Sakineh Mohammadi Ashtiani?

Condenar à morte nos Estados Unidos da América é diferente de condenar à morte no Irã? O que vem mesmo à tona é a pena capital. Não será possível no mundo de hoje encontrarmos soluções diferentes? Só me restaram perguntas.

Por enquanto descanse em paz Teresa Lewis

ARTIGOS | OUTROS ARTIGOS DESTE AUTOR

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Considere contribuir com o nosso trabalho!!! Obrigado!!!

Últimas no FarolCom

Veja também

Mapas do Triângulo

Meteorologia

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest