Doe para manter a versão nacional       Assine a edição local de Uberlândia

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA
Instituto Eu Quero Viver
quarta-feira, 20 julho, 2011 23:54

O efeito Panda tosquiando as repetições na internet

 
 
 
Pedro Reis/FarolCom/ilustração
 
   
  Não vai mais adiantar colocar bigode no ovo  
     

Definitivamente o Google está dando um golpe mortal nos papagaios da internet. Daqui para a frente o que vale são fontes originais, conteúdo que atenda ao espírito de pesquisa do internauta e o fim das infinitas replicações de textos.

Realmente é muito chato você fazer pesquisas de um determinado assunto e a página de respostas enfileirar uma infinidade de "mesmo assunto", escrito com as "mesmas palavras", cópia da cópia da cópia.

Com a atualização Panda, o Google pretende banir resultados repetidos e assim oferecer o que ele prega há muito tempo: satisfação maximizada de quem pesquisa.

Para você que divulga material para publicação, o primeiro aviso é que não adianta o tamanho da lista de destinatários, mas a qualidade do material e o local onde ele será publicado. Ou seja, sites que publicam materiais relevantes vão rejeitar o seu e-mail enviado em massa porque isso vai depreciar o site.

Os sites de notícias que apenas replicam informação recebida por e-mail em massa vão desaparecer dos principais resultados de busca e provavelmente o primeiro que publicar vai ser notado como original, os outros não. Como o Google não revela qual é a mecânica utilizada, o que vai valer na prática é a exclusividade e a relevância do material. Esse é o maior objetivo dessa nova sistemática.

Isso pode criar num primeiro momento, um certo apagão dos seus textos e infomações, mas vai logo em seguida permitir que você escolha em quais canais vai divulgar a sua informação e com que grau de profundidade irá abordar esses assuntos.

Se você tem uma assessoria de imprensa, vai ter que preparar e especializar sua equipe e criar vínculos mais estreitos com veículos que possam garantir a publicação do material com uma boa dose de exclusividade. Um se especializa em produzir informação, o outro em divulgá-la em conjunto com outros assuntos vindos de outras fontes. É o trabalho de imprensa exercido como antigamente e penso, a salvação dos jornalões e o fim dos aventureiros e caçadores de ranking.

Como disse agora mesmo (via Twitter) um grande amigo e especialista em SEO, Alexis Kauffmann: "O SEO acabou. O que temos de fazer agora é organizar a informação tendo em mente as pessoas".

Vejamos:

- Se a informação está colocada e bem colocada em algum lugar, basta usar o Twitter, o Facebook ou o Google+ para sinalizá-la como recomendada ao invés de republicá-la, o que em síntese vai apenas engordar o espaço utilizado para armazenagem, ocupar o Robot de buscas com informação redundante e chatear o leitor com "mesmo resultado da mesma coisa" infinitas vezes. O botão +1 do Google tem essa finalidade também.

- Vai criar uma relação de fidelidade com os veículos que poderão abordar temáticas específicas de forma cada vez mais ampla.

- As assessorias em geral vão direcionar seu tráfego e com a garantia da publicação, dedicar-se a textos mais completos e assim fortalecer a posição de seus clientes junto ao mercado. Podem até permitir a criação de novos postos de trabalho. A democratização da imprensa, pulverizada em muitos nichos, com informação exclusiva.

- Conteúdo de opinião e técnico estarão no topo da preferência, sempre levando em conta a relevância e a confiabilidade da informação.

- Se a informação for publicada no blog da empresa ou da assessoria, o primeiro veículo que publicar a informação recebida pelo e-mail já vai ser considerado cópia. Será bem mais interessante a assessoria trabalhar como agência de notícias, produzindo conteúdo e selecionando quem vai receber em função da relevância.

-Encerrará definitivamente a carreira dos spammers de conteúdo, os links pagos e vai oferecer uma navegação mais leve e relevante, vai completar e satisfazer as necessidades dos que pesquisam e reduzir consideravelmente os papagaios cibernéticos e as fazendas de conteúdo, que apenas pinçam coisas que já foram publicadas para apresentá-las novamente como "original"

A atualização Panda vai num primeiro momento provocar um rebuliço e até alguma injustiça com bons sites que venham a ser rebaixados nos resultados de pesquisa, mas vai estimular as pessoas que produzem informação a pensar primeiro no leitor e depois no ranking, coisa aliás que o Google prega desde sempre.

É fato que algumas informações precisam estar em vários veículos, mas o que o Panda também quer, é bastante conteúdo exclusivo e diversificado para apresentar aos seus usuários o que vai favorecer também a aplicação dos anúncios. Os sites dos governos que precisam tornar públicas suas ações, já são a fonte original. Replicá-las ainda que com pequenas variações, também será cópia.

Nós aqui, estamos hiper abertos para discutir essas questões com todos aqueles que se relacionam conosco, enquanto veículo e que também se posicionou desde o início como uma "rede web de informação e cultura". Vamos rever os procedimentos em conjunto? Vamos ajudar a construir uma relação que proporcione uma melhor experiência para quem navega e utiliza a internet? Está absolutamente nas nossas mãos.

Finalizando, o que o "Google Panda" busca é uma relação com a internet cada vez mais parecida com o padrão humano de comportamento e os caras já mostraram e continuam mostrando que são realmente imbatíveis naquilo que se propuseram a fazer.

E a evolução não para por aí.

Leia também:

Google vai promover importante alteração algorítmica voltada para webspam [iMasters]

Parto doméstico, atualização Panda e releases em massa

Google desvaloriza páginas de baixa qualidade [Webinsider]

Google's Panda ranking algorithm changes SEO forever [Search engine Guide]

Finding more high-quality sites in search [The Official Google Blog]

ARTIGOS | OUTROS ARTIGOS DESTE AUTOR

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Considere contribuir com o nosso trabalho!!! Obrigado!!!

Últimas no FarolCom

Veja também

Mapas do Triângulo

Meteorologia

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest