Doe para manter a versão nacional       Assine a edição local de Uberlândia

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

#zikazero | CLIQUE AQUI, SAIBA MAIS E PARTICIPE | #zikazero
A sociedade mobilizada para vencer a luta contra o mosquito

Instituto Eu Quero Viver
sábado, 7 novembro, 2015 - 21h37 - atualizada em 09 março, 2015 23:39

Nossa história ficou debaixo da lama

O pedreiro Marcos Eufrásio Messias, 38 anos, vivia no distrito de Bento Rodrigues, zona rural de Mariana (MG), desde que nasceu. Morava com a mãe, os irmãos e dois sobrinhos. Criava galinha, pato e codorna. Tinha, como ele mesmo conta, a vida feita. Mas perdeu tudo depois que duas barragens na região se romperam e a lama destruiu o povoado

   

Relação de mortos e desaparecidos no final da matéria (em atualização)

“Eu tinha casa bem aqui no centro”, contou, apontando para um revirado de lama e sujeira. "Conseguimos sair a tempo, mas perdi carro, documento, cartão de banco. Tudo. Só conseguimos salvar a vida. De resto, não sobrou nada."

A dona de casa Teresinha Custódio Quintão, 49 anos, também morou a vida toda no distrito atingindo pela tragédia. No momento em que as barragens se romperam, ela estava na cozinha do restaurante onde trabalhava com a irmã.

"Na hora em que vi a avalanche, minha irmã gritou. Eu estava acabando de arrumar a cozinha. Olhei para cima, vi uma chuva de poeira. Quando olhei de novo, vi a avalanche de lama."

Antonio Cruz/Agência Brasil
Morador em Bento Rodrigues, o pedreiro Marcos Eufrásio Messias diz que terá de recomeçar: "Eu tinha a vida feita" | Antonio Cruz/Agência Brasil
Morador em Bento Rodrigues, o pedreiro Marcos Eufrásio Messias diz que terá de recomeçar: "Eu tinha a vida feita"

A casa de Teresinha fica na parte mais alta de Bento Rodrigues e não foi atingida pela tragédia. Serviu, na verdade, de ponto de apoio para receber os que perderam tudo. Acompanhada dos irmãos, passou a noite de sexta-feira (6) correndo de um lado pro outro, tirando gente das casas, carregando idosos, soltando animais presos.

"Deus ajudou porque estamos vivos. A nossa história ficou ali, debaixo da lama. Não sei o que vai ser da vida agora. A lama desmontou tudo, separou a família toda."

Antônio Geraldo dos Santos, 32 anos, conseguiu salvar também a casa onde morava em Bento Rodrigues, mas acha que vai precisar retomar a vida em outro lugar. Ele, sete irmãos e dois sobrinhos saíram ilesos do local.

"Como a comunidade é pequena, todo mundo se conhece. As pessoas que estão desaparecidas não são parentes, mas é como se fossem. A gente cresceu conhecendo todas elas."

Para Antônio, o rompimento das barragens não acabou apenas com a casa de centenas de pessoas. "Agora, temos que começar do novo. Não sei como a gente vai conseguir. Só vai cair a ficha mesmo daqui uns três dias. Agora, a gente está no susto, na emoção, no sofrimento. Mas daqui alguns dias, a vida vai voltar ao normal e é aí que a gente vai descobrir o dano maior."

reproduzido da Agência Brasil
Paula Laboissière - Enviada Especial da Agência Brasil / Edição: Beto Coura
André Richter - Repórter da Agência Brasil / Edição: Stênio Ribeiro

Prefeitura de Mariana informa que 26 pessoas estão desaparecidas
lista corrigida pela Prefeitura de Mariana

A prefeitura de Mariana (MG) atualizou, no início da noite de hoje (7), a lista de pessoas que desapareceram após rompimento de duas barragens no distrito de Bento Rodrigues, na última quinta-feira (5).

Mais cedo, de acordo com a prefeitura, 19 pessoas estavam desaparecidas, mas, pelo novo levantamento, 28 pessoas estão desaparecidas: 13 são funcionários de empresas que prestam serviços à mineradora Samarco, e 15 são moradores do distrito. Entre eles, um bebê de 3 meses e um senhor de 70 anos.

Os trabalhadores que ainda não foram localizados são:

Ailton Martins dos Santos,
Edmirson José Pessoa,

Em 9 de março foi localizada a cabine de um caminhão com um corpo, sem confirmação de quem seria.

Listados no início da tragédia

Aparecida Viera, 65 anos, Arnaldo Zeferino, 40 anos, Joaquim Zeferino, 70 anos e Afonso Augusto Alves, 54 anos foram localizados vivos

Ana Clara Dias Batista, 30 anos; Mateus Dias Batista, 5 anos e Yuri Dias Batista, 3 meses foram colocados na lista inicialmente, mas segundo nota do Corpo de Bombeiros Militar MG essas pessoas não existem.

Lista oficial de mortos*

Vando Maurílio Dos Santos, 37 anos
Claudio Fiuza, 40 anos
Sileno Narkievicius de Lima, 47 anos
Valdemir Aparecido Leandro, 48 anos
Emanuele Vitória Fernandes, 5 anos
Thiago Damasceno, 7 anos
Marcos Roberto Xavier, 32 anos
Marcos Aurélio Pereira Moura,
Samuel Viana Albino, 34 anos
Mateus Marcio Fernandes, 29 anos
Daniel Altamiro de Carvalho, 53 anos
Edinaldo Oliveira de Assis, 40 anos
Claudemir Elias dos Santos,
Pedro Paulino Lopes,
Maria Das Graças Celestino Da Silva, 65 Anos
Maria Elisa Lucas, 60 anos
Antônio Prisco, 73 anos

*Dados atualizados pela nossa redação com informações da Prefeitura de Mariana

Veja outras notícias sobre:

Desastre Ambiental em Mariana

Caderno Meio Ambiente

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Considere contribuir com o nosso trabalho!!! Obrigado!!!

Últimas no FarolCom

Veja também

Mapas do Triângulo

Meteorologia

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest

Temas correlatos

ÁGUA | ENERGIA | LIXO

MEIO AMBIENTE | MOBILIDADE