Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

| Dengue, Zika e Chikungunya no Caderno Saúde |
A sociedade mobilizada para vencer essa luta

Agro | Negócios & Economia

Ecopontos, Feiras-Livres e outros serviços em Uberlândia
segunda-feira, 29 setembro, 2008 16:45

Vacinação contra aftosa tem calendário unificado em Minas

 
 
 
Agência Brasil / Reprodução
 
   
     

Os 530 municípios do Circuito Pecuário Leste de Minas Gerais terão, a partir deste semestre, um novo calendário de vacinação contra febre aftosa. Os municípios localizados na margem direita dos rios Grande e São Francisco passarão a vacinar seus rebanhos nos meses de maio e novembro.

As datas são as mesmas adotadas no Circuito Pecuário Centro-Oeste, que é composto pelos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, parte de Minas Gerais, Paraná, São Paulo, Tocantins e Distrito Federal.

O calendário foi unificado pelo Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) a pedido do Conselho Nacional de Secretários de Estado de Agricultura (Conseagri), órgão representativo dos secretários de Estado de Agricultura de todo o Brasil e é parte do grande esforço das autoridades sanitárias brasileiras para a erradicação da doença no país até o final de 2010.

Estratégia e avanços
A estratégia do programa nacional considera a implantação gradativa de zonas livres de aftosa, de acordo com as regras definidas pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) para os processos de zonificação e regionalização, visando conquistar em um futuro próximo todo o país como livre desta doença.

O conjunto de esforços visando integrar o trabalho de todos os segmentos da agropecuária tem permitido um avanço sustentável para alcançar a erradicação da enfermidade em uma vasta área do país, compreendida pelo estado de Santa Catarina, considerada como livre de aftosa sem vacinação, e pelos Circuitos Sul, Centro-Oeste e Leste.

Estudo sorológico
Como parte deste processo, o Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, realiza estudo sorológico anual para detecção de anticorpos do vírus da doença em propriedades rurais em estados reconhecidos como áreas livres de aftosa. Este procedimento periódico é uma exigência da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e busca comprovar a ausência da chamada atividade viral nessas regiões. Essa ação, que é realizada com o máximo rigor em Minas Gerais, é requisito para manter a condição sanitária internacional conquistada pelo Brasil, que tem atualmente o reconhecimento da OIE como área livre da enfermidade em 15 Estados.

Vantagens
A mudança no calendário de vacinação permitirá que as etapas de imunização em grande parte do Brasil sejam promovidas na mesma época, o que facilitará enormemente no trânsito de animais. Para isso, o diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, chama atenção dos pecuaristas mineiros para que, durante o mês de outubro, os animais com origem nos locais que tiverem o calendário alterado deverão ser imunizados quando destinados a trânsito interestadual, respeitando os prazos de carência para movimentação, previstos na Instrução Normativa de nº 44/2007. O diretor informa que serão dispensados da vacinação os animais destinados ao abate imediato, desde que comprovem as três últimas vacinações consecutivas.

Novo programa
O Governo de Minas, através da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), está se empenhando para implantar um novo programa de computador destinado a melhorar o controle da vacinação e da movimentação dos animais: o Sistema de Defesa Agropecuária (Sidagro).

Segundo Altino Rodrigues Neto, para a operacionalização do programa, a partir de novembro de 2008 serão tomadas algumas providências. O cartão sanitária vai ser substituído por um cartão de identificação do produtor. A declaração da vacina só poderá ser entregue no escritório do IMA onde está o cadastro do produtor, que deverá se atualizado nessa mesma ocasião. Para isso, é imprescindível a apresentação do CPF ou CNPJ. Na ocasião, o produtor receberá o novo cartão de identificação, com a inutilização do antigo.

O diretor do IMA ressalta que uma das grandes vantagens que a informatização trará para os produtores será a emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA) em qualquer escritório do IMA em todo o território mineiro, desde que a vacinação e o cadastro estejam atualizados.

Por outro lado, informa o dirigente, no caso de falta ou atraso da vacinação o Sidagro bloqueará a emissão da GTA e emitirá multa automaticamente. “Para evitar que isso aconteça, são imprescindíveis a participação e a colaboração de todos os produtores imunizando seus animais dentro das datas estabelecidas no Calendário Oficial da Vacinação. Dessa forma, estarão colaborando para manter o status de Minas Gerais como área livre de aftosa com vacinação”, diz.

Agência Minas

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Documento sem título
Considere contribuir com nosso trabalho

Últimas no FarolCom

Veja também

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest