Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

| Dengue, Zika e Chikungunya no Caderno Saúde |
A sociedade mobilizada para vencer essa luta

Agro | Negócios & Economia

Ecopontos, Feiras-Livres e outros serviços em Uberlândia
 
quarta-feira, 11 março, 2009 18:21

Biodigestores abastecidos com dejetos de ovinos geram biofertilizante e biogás na Fazu

 
 
 
divulgação
 
   
     

“Vivemos um momento onde a “lei” é reciclar, preservar, despoluir e sanear o meio ambiente”. Quem afirma é a professora do curso de Zootecnia da Fazu, Renata Soares Serafim. Segundo ela, a utilização de biodigestores permite o cumprimento dessas “leis” e, ainda, que todos vivam em um ambiente ecologicamente correto, saudável, agregando valores a resíduos que antes eram considerados fontes de poluição.

Renata orienta uma pesquisa do Projeto de Iniciação Científica (PIC), desenvolvido pelo universitário Antônio Luis Andrade Filho, que estuda a utilização de dejetos de ovinos para abastecer quatro biodigestores, com capacidade para gerar 10 litros de biofertilizante e biogás.

A professora informa que os biodigestores foram confeccionados em PVC. “Eles estão em produção desde maio de 2008, gerando biogás, o qual está sendo queimado e lançado para a atmosfera”, explica Renata. Segundo Renata, o desabastecimento desses biodigestores está previsto para abril, mês em que todo o processo será concluído para avaliar a produção total de gás metano, o principal componente do biogás.

De acordo com Renata, a reciclagem para produção de energia contribui com a preservação ambiental e repercute, até mesmo, na redução de gases de efeito estufa. “Uma das alternativas para atingirmos um estado de sanidade ambiental melhor e a redução da produção dos gases de efeito estufa é a adoção de tecnologias apropriadas para tal causa, como por exemplo, o uso de biodigestores rurais”, afirma.

A professora explica que o biodigestor constitui-se de uma câmara fechada onde é colocado o material orgânico, em solução aquosa. “O material sofre decomposição e gera o biogás, que irá se acumular na parte superior da referida câmara. A decomposição que o material sofre, no interior do biodigestor, com a conseqüente geração de biogás, chama-se digestão anaeróbia”, informa.

Segundo Renata, com base nos consumos médios de biogás é possível determinar o volume de biogás diário suficiente para suprir as necessidades de uma propriedade. “Existe atualmente uma gama muito grande de modelos de biodigestores, sendo cada um adaptado a uma realidade e uma necessidade de biogás”, ressalta. Ela acrescenta ainda que, os biodigestores podem ser feitos com vários materiais de construção e em diferentes formas e proporções. “A construção dessa estrutura é uma das maiores partes dos custos de investimento”, conclui.

Isabela Avelar | Comunicação/FAZU

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Documento sem título
Considere contribuir com nosso trabalho

Últimas no FarolCom

Veja também

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest