Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

| Dengue, Zika e Chikungunya no Caderno Saúde |
A sociedade mobilizada para vencer essa luta

Agro | Negócios & Economia

Ecopontos, Feiras-Livres e outros serviços em Uberlândia
domingo, 5 abril, 2015 - 14h34

Piscicultura familiar no semiárido mineiro

   

Com apoio da Codevasf, piscicultores do semiárido mineiro produzem 7,4 mil toneladas e movimentam R$ 38 milhões

O vale do rio São Francisco em Minas Gerais está se destacando no cenário nacional como um dos principais polos produtores de tilápia em tanques-rede: foram 7,4 mil toneladas produzidas somente na região do lago de Três Marias - onde se concentra parte significativa da produção desse pescado no estado -, em 5.765 tanques-rede de diversos tamanhos distribuídos em 74 pisciculturas que reúnem 169 piscicultores, gerando uma receita bruta de peixe in natura (fresco) em torno de R$ 38 milhões.

Os resultados se referem a 2014 e estão relacionados às ações desenvolvidas e acompanhadas pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) por meio dos Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Três Marias (CIT) e do Gorutuba (CIG) e da Unidade de Beneficiamento de Pescado de Morada Nova de Minas (UBP).

Cássio Moreira/ Codevasf
Com apoio da Codevasf, piscicultores do semiárido mineiro produzem 7,4 mil toneladas e movimentam R$ 38 milhões

Veja este álbúm de fotos no Facebook

São mais de 424 empregos diretos e 1.696 indiretos que beneficiam pequenos produtores rurais dos municípios de Felixlândia, Abaeté, Paineiras, Três Marias, Pompeu, Morada Nova de Minas, São Gonçalo do Abaeté e Biquinhas, todos localizados no entorno do lago de Três Marias e recebendo apoio técnico da Codevasf.

Juntos, os Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Três Marias e do Gorutuba produziram, de 2012 a 2014, mais de 1,9 milhão de alevinos, entre espécies nativas e espécies exóticas, as quais foram distribuídas para criação por piscicultores familiares e artesanais e também para a realização de 41 peixamentos de rios e córregos da região.

Por meio da unidade do Gorutuba, assistência técnica e capacitação vêm sendo prestadas a mais de uma centena de piscicultores, num trabalho que envolve fomento aos produtores, visitas às propriedades e realização de reuniões conhecidas como “dias de campo”.

Na Unidade de Beneficiamento de Pescado de Morada Nova de Minas, implantada pela Codevasf em 2010 em parceria com o município, os piscicultores agregam valor e renda à produção de pescado. “Com a unidade, o piscicultor oferece produto de qualidade e com certificação sanitária federal, em condições de ser comercializado não só em Minas Gerais mas em todo o país”, observa o superintendente da Codevasf em Minas Gerais, Dimas Rodrigues.

A agregação de valor ao produto se dá em razão do melhor processamento da matéria prima com a produção de filé, postas e cortes especiais, explica o superintendente. “Esse trabalho viabiliza a melhoria da renda familiar dos produtores envolvidos, fazendo com que os recursos oriundos dessa atividade permaneçam na região e promovam o desenvolvimento sustentável”, aponta.

Iniciativa pioneira

O trabalho no entorno da barragem de Três Marias teve início em novembro de 2001, quando a Codevasf implantou a primeira unidade demonstrativa de produção de tilápia em tanques-rede.

Segundo o engenheiro de pesca, José Jacobina Neto, chefe do Escritório de Apoio Técnico de Morada Nova de Minas, a iniciativa pioneira foi logo assimilada por um pequeno grupo de produtores, que imediatamente identificou a necessidade de se organizarem em grupo para melhor gerirem o negócio.

Com o início das obras da Unidade de Beneficiamento de Pescado e com as perspectivas de maior crescimento da atividade da região, aumentaram significativamente os investimentos no setor. Surgiram diversas associações de produtores e a Cooperativa dos Piscicultores do Alto Médio São Francisco (Coopeixe), com a finalidade de representar os piscicultores da região na promoção da atividade. Hoje são 43 sócios, a maioria pequenos produtores da aquicultura familiar.

Gorutuba

Construído no início dos anos 80 ao lado da barragem do Bico da Pedra, em Nova Porteirinha, o Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura do Gorutuba tem um importante papel na propagação artificial de espécies de peixes nativos e exóticos de valor ecológico e comercial para a recomposição da ictiofauna nativa e também para a piscicultura do Vale do rio São Francisco em Minas Gerais, principalmente nos 16 municípios da região da Serra Geral.

De 2012 a 2014, a Codevasf produziu nesse Centro mais de 1,6 milhão de alevinos, sendo mais de 1,1 milhão de espécies nativas e cerca de 500 mil de espécies exóticas, as quais foram distribuídas para criação por pequenos produtores rurais e para a realização de 13 peixamentos em rios e córregos dos municípios de Janaúba, Manga, Matias Cardoso, Mato Verde e Nova Porteirinha.

Três Marias

No Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Três Marias a produção de 2012 a 2014 foi de mais de 320 mil alevinos de espécies nativas da bacia do rio São Francisco, os quais foram destinados a 28 peixamentos realizados na barragem de Três Marias, e também em rios e córregos do Alto São Francisco.

O centro, que desde 1979 atua exclusivamente com reprodução de espécies nativas da bacia do rio São Francisco, tem entre suas atribuições a realização de pesquisas nas áreas de ictiologia (estudo dos peixes) e limnologia (estudo das águas), o provimento de suporte à piscicultura, a reposição de peixes de espécies nativas à bacia hidrográfica do São Francisco e o monitoramento da qualidade das águas desta bacia.

No espaço são desenvolvidas tecnologias de reprodução artificial de espécies nativas e estudos de lagoas marginais no estado de Minas Gerais. No Centro de Três Marias foi alcançado o domínio da reprodução artificial de 35 espécies nativas do Velho Chico – como dourado, matrinxã, pacamã e curimatã pioa, entre outras.

As ações de peixamento, além de recomporem a ictiofauna do rio, são realizadas para o cumprimento de condicionantes de licenciamentos ambientais de empreendimentos da Codevasf.

De 2012 a 2014, os trabalhos de pesquisa daquela unidade suscitaram a produção de 106 publicações científicas nas diversas áreas relacionadas à aquicultura e recursos pesqueiros no vale do São Francisco.

O processo para acreditação atualmente desenvolvido pelo Centro Integrado de Três Marias inclui o planejamento e a implantação de um rigoroso sistema de gestão de qualidade, a realização de treinamentos, a validação de métodos de ensaio, a calibração de equipamentos, a aquisição de materiais de referência, a participação em ensaios de proficiência e a realização de auditorias.

Quando receber oficialmente a acreditação pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial e Tecnologia), o Centro Integrado será um dos poucos do Brasil a ter suas análises de água aceitas pelos órgãos ambientais responsáveis por autorizar a implantação de parques aquícolas.

Nos últimos anos, com recursos provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Codevasf investiu quase R$ 7 milhões em obras de melhorias dos laboratórios e dos tanques dessa unidade e, ainda na construção de uma Estação de Tratamento de Esgoto e aquisição de equipamentos de laboratório, veículos e barcos, entre outros.

De acordo com Izabel Aragão, Gerente de Desenvolvimento Territorial da Codevasf, com os investimentos aplicados nos últimos anos, a acreditação do laboratório de análise de água e a continuidade das pesquisas aplicadas, o Centro de Três Marias se está configurando como a maior referência no Brasil em estudos relacionados a recursos pesqueiros da bacia do São Francisco.

Comunicação / Codevasf

Saiba mais no Caderno Agro

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Documento sem título
Considere contribuir com nosso trabalho

Últimas no FarolCom

Veja também

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest