Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

| Dengue, Zika e Chikungunya no Caderno Saúde |
A sociedade mobilizada para vencer essa luta

Agro | Negócios & Economia

Ecopontos, Feiras-Livres e outros serviços em Uberlândia
segunda-feira, 25 maio, 2015 - 11h25

Feira em Brasília abre Semana Nacional dos Alimentos Orgânicos

Uma feira de alimentos orgânicos, em Brasília, abriu hoje (24) a 11ª edição da Semana Nacional dos Alimentos Orgânicos. Quem foi ao Parque da Cidade pôde experimentar saladas e frutas e comprar mel, verduras, café, frango e doces produzidos sem agrotóxicos ou adubos químicos. A iniciativa, do Ministério da Agricultura, ocorre até o próximo dia 31 no Distrito Federal e em 21 estados.

   

A meta é levar informações à população sobre os orgânicos e incentivar o consumo.

“Queremos falar direto com o consumidor, mostrar o que está por trás do produtor orgânico. Muitas vezes, ele é associado apenas ao produto sem agrotóxico, mas é mais do que isso. É todo um trabalho relacionado com a natureza, os recursos naturais, a relação com os empregados e a biodiversidade”, explicou o coordenador de Agroecologia do Ministério da Agricultura, Rogério Dias.

Para ele, a demanda por esses alimentos está crescendo. O mesmo efeito ocorre com as pessoas que se dedicam à produção. De 2013 a 2014, houve aumento de 51% no número de produtores orgânicos no Brasil. “Quanto mais os consumidores entendem o que é e valorizam o produto orgânico, mais os produtores se animam a produzir”, observou.

Dados do Ministério da Agricultura mostram que a área de orgânicos no Brasil abrange 750 mil hectares, contando com mais de 10 mil produtores e aproximadamente 13 mil unidades de produção.

Valter Campanato/Agência Brasil
Uma feira de alimentos orgânicos, abriu hoje (24) a 11ª edição da Semana Nacional dos Alimentos Orgânicos.A meta é levar informações à população sobre os orgânicos e incentivar o consumo

Aproveitando o domingo de tempo bom, o engenheiro José Eduardo Vaz caminhava hoje no Parque da Cidade, localizado na região central de Brasília, e, ao ver a feira de produtos orgânicos, decidiu parar. Ele conta que conversou com produtores e entendeu melhor a visão e o método de quem produz. “Não me atrai tanto esse nome orgânico porque não entendo bem como posso identificar se, de fato, é um produto orgânico. Cheguei, comi uma pera e uma tangerina e acabei conversando com pessoas que têm uma visão distinta do predador, que pensam construtivamente”, relatou antes de ir para casa levando frutas e café orgânico.

O produtor orgânico de café, frango e gado Carlos Caetano considera que ainda é preciso esclarecer os consumidores sobre o que diferencia os produtos orgânicos dos demais, para ampliar o consumo. Segundo ele, o mercado de orgânicos no país está em expansão com um crescimento de cerca de 20% por ano e isso se deve ao aumento do interesse por uma alimentação saudável. “As pessoas estão percebendo que a alimentação natural faz com a saúde melhore.”

O preço dos alimentos orgânicos, superior ao dos demais, ainda é uma reclamação frequente dos consumidores, mas o coordenador do ministério da Agricultura ressalta que é preciso levar em conta que esse é um produto diferenciado. "Não dá para ter um produto diferenciado em que você tem que adotar uma série de técnicas que acabam encarecendo e achar que isso pode não aparecer o preço”, explica Rogério Dias. Ele, no entanto, diz que com o aumento de políticas públicas para o setor é possível que os custos caiam.

O produtor Carlos Caetano argumenta que o preço mais alto é compensado pela vantagem de se ter na mesa um alimento saudável. “O fato de o alimento orgânico ser um pouco mais caro compensa o gasto que você tem na saúde. Você acaba gastando com a saúde o que não gastou com a compra do alimento”, pondera. Carlos também alerta que é preciso convencer o Poder Público a investir mais na pesquisa para reduzir o custo de produção.

Para ser considerado orgânico, o alimento deve ser produzido de acordo com os princípios agroecológicos que contemplem o uso responsável do solo, da água, do ar e dos demais recursos naturais, respeitando as relações sociais e culturais, segundo o Ministério do Meio Ambiente.

Agência Brasil

Saiba mais no Caderno Agro

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Documento sem título
Considere contribuir com nosso trabalho

Últimas no FarolCom

Veja também

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest