Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

| Dengue, Zika e Chikungunya no Caderno Saúde |
A sociedade mobilizada para vencer essa luta

Instituto Eu Quero Viver
quinta-feira, 17 janeiro, 2013 11:36

Transplantes de órgãos e doação de sangue em Minas

Gil Leonardi

“Nosso programa, chamado MG Transplantes, é uma referência nacional. Há uma equipe médica muito reconhecida, aplaudida e premiada que é um grande orgulho de Minas Gerais. O MG Transplantes alcançou a marca de 25 mil ações nos últimos anos, o que é um dado muito importante, e aumentou em 350% o número das suas ações de doadores” - Antonio Anastasia

Governador, sempre que a gente quer desejar boas coisas para os nossos amigos, a gente deseja saúde. A saúde é o bem maior das nossas vidas, não é verdade? E, por diversos motivos, quando acometidos por alguma enfermidade, as pessoas precisam de um transplante para continuar a viver saudáveis e felizes. Daí a importância da doação de órgãos, não é mesmo, governador?

Antonio Anastasia: É verdade. A saúde é o nosso principal bem e há um grande esforço do poder público para que a saúde, cada vez mais, esteja à disposição do cidadão mineiro. Mas, é claro, sabemos que é muito importante na saúde a figura da solidariedade. E a solidariedade se faz também através dos transplantes. Muitas vezes, aquela determinada doença, para a sua cura completa, exige um transplante de determinado órgão. Ora é transplante do rim, da córnea, do fígado, de diversos órgãos humanos onde a tecnologia médica já avançou. Mas para isso, é preciso - repito - a solidariedade, a manifestação de vontade solidária daquela pessoa que quer, após o seu falecimento, ser um doador. É muito importante que a pessoa que queira manifeste isso para a sua família, que faça esse registro de tal modo que a família possa, nesse momento, fazer a doação, porque ela estará fazendo um bem não só em vida, mas também depois da própria vida, legando uma parte do seu corpo para trazer a saúde a um concidadão.

Como está a situação de Minas Gerais hoje em relação ao número de transplantes realizados, governador?

Antonio Anastasia: Bem, o nosso programa, chamado MG Transplantes, é uma referência nacional. Inclusive há uma equipe médica muito reconhecida, aplaudida e premiada que é um grande orgulho de Minas Gerais. O MG Transplantes alcançou a marca de 25 mil ações nos últimos anos, o que é um dado muito importante, e aumentou em 350% o número das suas ações de doadores. Isso é fundamental, porque demonstra que há mesmo esse envolvimento por parte da sociedade mineira em favor dos transplantes. Em Minas Gerais, há uma logística muito preparada para fazer o transporte rápido dos órgãos que são doados, o que também é muito importante, a rapidez da hora exata do acometimento do fato para a cirurgia. E essa rede completa que existe, aérea e terrestre, é coordenada pelo MG Transplantes, da Secretaria de Estado de Saúde, que faz um belíssimo trabalho.

No transplante de córneas, governador, Minas alcançou, no final do ano passado, um número histórico.

Antonio Anastasia: É verdade: a chamada lista zero, quer dizer, não há espera em termos de córnea. No momento da necessidade, existe uma lista pronta para a pessoa receber a doação. Isso é muito positivo, o que demonstra não só como nós avançamos em termos tecnológicos, mas também a solidariedade tão firme dos mineiros.

Governador, nesta época, por causa das férias, do início do ano e mesmo da chegada do Carnaval, o banco de estoque de sangue nos hospitais acaba diminuindo. Apesar de ser uma referência nacional nesta área, a Fundação Hemominas precisa muito do apoio da população também, não é?

Antonio Anastasia: É verdade. A Fundação Hemominas está comemorando 28 anos de existência de serviços bem prestados a Minas Gerais, presente no interior e não só na capital. Ela faz um trabalho de excelente qualidade, mas depende fundamentalmente da solidariedade de que eu falava há pouco. O sangue não se fabrica. O sangue necessariamente vem de doação, doação de nós, seres humanos. E nesse período de início de ano, de férias, costuma cair em até 30% o número de doações. Então é muito importante que as pessoas façam as doações, apresentem-se voluntariamente. Há um programa feito pelo Hemominas chamado NaVeia, que demonstra exatamente quais são as facilidades, que não há nenhum risco à saúde - ao contrário -, quais são os procedimentos para os doadores, quem pode doar, quem não pode fazê-lo. Se a pessoa tiver essa vontade de ajudar o próximo, aqui vai o nosso pedido, o nosso apelo: procurar a unidade do Hemominas e fazer a doação de sangue, pois, certamente, ele estará salvando uma vida.

Fonte: Superintendência de Imprensa do Governo de Minas Gerais

Índice

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Documento sem título
Considere contribuir com nosso trabalho

Últimas no FarolCom

Veja também

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest