Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

| Dengue, Zika e Chikungunya no Caderno Saúde |
A sociedade mobilizada para vencer essa luta

Instituto Eu Quero Viver
quarta-feira, 9 maio, 2012 22:10

Luz para Todos, empréstimos a aposentados e saúde pública

 
 

Presidenta Dilma conversa em sua coluna semanal sobre o programa Luz para Todos, empréstimos para aposentados e medidas para melhorar a saúde pública

Roberto M. Ferreira, 44 anos, vendedor em Cuiabá (MT) – É verdade que o governo brasileiro, antes mesmo de cumprir as metas do Luz para Todos no Brasil, está implantando o programa em outros países?

Presidenta Dilma – Roberto, o governo brasileiro não só cumpriu como ultrapassou em muito a meta estabelecida para o Luz para Todos. O programa foi lançado em 2003 com o propósito de levar energia elétrica para 2 milhões de famílias, o que foi alcançado em junho de 2009. Mesmo com as metas atingidas, decidimos prorrogar o programa – até agora, já levamos luz elétrica a 2,9 milhões de famílias. A boa experiência do Luz para Todos chamou a atenção de diversos países da América Latina, África e Ásia e assinamos acordo de cooperação com quatro países e estamos negociando com outros catorze. Nós damos assistência técnica para os governos implantarem programas similares ao Luz para Todos, sem descuidar das nossas metas. O Luz para Todos foi escolhido pela ONU como referência para estender às populações mais pobres de todos os países do mundo o acesso aos serviços de eletricidade. O Luz para Todos não serve apenas para iluminar os domicílios, mas também possibilita a utilização de diversos aparelhos eletroeletrônicos e impulsiona o trabalho no meio rural. A produção se multiplica e permite a comercialização dos excedentes. É essa revolução no campo que está encantando outros países, o que é motivo de orgulho para todos nós, brasileiros.

Iris da Rosa, 73 anos, aposentada em Porto Alegre (RS) – Minha irmã, servidora aposentada, recebeu oferta de empréstimo de R$ 6 mil e, no extrato, apareceu o valor de R$ 23 mil. Qual o controle que o governo exerce sobre agentes financeiros que oferecem empréstimo para idosos aposentados?

Presidenta Dilma – Iris, os segurados do INSS que tiverem problema com empréstimo consignado podem registrar reclamação pelo telefone 135 ou pelo site do Ministério da Previdência Social: www.previdencia.gov.br. Os bancos têm 10 dias úteis para responder ao INSS e, constatado o erro, dois dias úteis para devolver o dinheiro. Várias medidas foram tomadas para proteger o aposentado. Por exemplo, o valor do empréstimo tem que ser depositado na conta do segurado e, na assinatura do contrato, a instituição tem que fornecer cópia com o total financiado, o valor e o número de prestações, além da soma do que será pago. Lembro que a melhor forma de conseguir um empréstimo é o segurado procurar o banco de sua preferência. Na contratação de operações de crédito em geral, inclusive empréstimos consignados, os bancos e financeiras devem respeitar as normas instituídas pelo Conselho Monetário Nacional e pelo Banco Central. Quem se sentir prejudicado tem a opção de recorrer ao Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) da própria instituição financeira ou do seu correspondente bancário. Ou então reclamar ao Banco Central pela página http://www.bcb.gov.br/?CIDADAO ou pelo telefone 0800-979-2345.

Gildásio Brito, 22 anos, estudante em Barra do Corda (MA) – A situação da saúde é muito triste. O que a senhora está planejando para melhorar a saúde pública no Brasil?

Presidenta Dilma – Nós já adotamos várias medidas para a melhoria dos serviços de saúde, Gildásio, e não vamos parar por aí. Desde o ano passado, por exemplo, estamos investindo R$ 550 milhões em cirurgias não urgentes. Implantamos o programa de atenção domiciliar, o Melhor em Casa. Lançamos o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica para avaliar o atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e poderemos até dobrar os recursos de custeio para aquelas que cumprirem metas na qualificação do trabalho das equipes de saúde. Criamos a Rede Cegonha, que garante cuidados que vão desde o planejamento da gravidez até o segundo ano de vida da criança. Atualmente 2.731 municípios já iniciaram o processo de adesão com previsão de atendimento de 1,58 milhão de gestantes em todo o país. Lançamos o Programa Nacional de Fortalecimento das Ações de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Colo de Útero e de Mama, que em 2011 realizou 3,9 milhões de exames de mamografia e 11,3 milhões de exames de Papanicolau. Aprimorando a gestão do SUS e adotando medidas de combate ao desperdício, conseguimos triplicar a oferta gratuita de medicamentos para hipertensos e diabéticos pelo programa Saúde Não Tem Preço, e economizar, em 2011, mais de R$ 1,7 bilhão na aquisição de remédios e insumos. São grandes vitórias que demonstram que estamos no caminho certo.

Fonte: Secretaria de Imprensa da Presidência da República|Departamento de Relacionamento com a Mídia Regional
[foto: Arte sobre fotos de Roberto Stuckert Filho/PR e José Cruz/ABr]

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Índice

Documento sem título
Considere contribuir com nosso trabalho

Últimas no FarolCom

Veja também

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest