Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

| Dengue, Zika e Chikungunya no Caderno Saúde |
A sociedade mobilizada para vencer essa luta

Instituto Eu Quero Viver
terça-feira, 29 janeiro, 2013 11:15

Doença de Chagas, Vale-Cultura e redução das tarifas de energia

planalto.gov.br

Presidenta Dilma conversa em sua coluna semanal sobre o combate a doença de Chagas, o Vale-Cultura e a redução das tarifas de energia

Ubiratã Fonseca Lima, 52 anos, radialista de Posse (GO) – Presidenta, nosso município apresenta um alto índice de pessoas contaminadas pela doença de Chagas. As casas de barro da zona rural são locais preferidos do inseto barbeiro. Qual solução a senhora poderia apresentar para nossa população?


Presidenta Dilma – Ubiratã, a melhoria das condições habitacionais é essencial para o controle da doença de Chagas, pois o barbeiro se aloja nas frestas de casas precárias, como as de pau-a-pique. Por isso o Minha Casa Minha, Vida também atua nas áreas rurais, onde já investiu R$ 1,4 bilhão desde 2009 para beneficiar 60,6 mil famílias, sendo 41,5 mil só em 2012. Em Goiás, a Caixa Econômica Federal já realizou 1.536 contratos nessa modalidade. Famílias com renda anual de até R$ 15 mil podem ter financiamento com subsídio de até R$ 30,5 mil para a construção de sua casa ou de até R$ 18,4 mil para uma reforma. Famílias com renda acima de R$ 15 mil até R$ 60 mil também são financiadas, sem subsídio. Além disso, em 2012, a Fundação Nacional de Saúde, a Funasa, por meio do Programa Melhoria Habitacional para o Controle da Doença de Chagas, destinou R$ 20 milhões para melhoria habitacional, como reboco e pinturas, em áreas de grande infestação em 39 municípios de nove Estados. Para o seu município, serão destinados R$ 500 mil. Desde 2006, o Brasil interrompeu a transmissão pela principal ameaça domiciliar, o barbeiro Triatoma infestans. E os três milhões de portadores da doença recebem gratuitamente o medicamento benzonidazol do Sistema Único de Saúde, o SUS. O Brasil é o único país produtor deste medicamento e exporta para outros que necessitam dele.

Joelmir Francisco Couto, 29 anos, analista de produção de Fortaleza (CE) - Como faço para conseguir o vale cultura? E qual é o valor? Tenho que me cadastrar?

Presidenta Dilma - Joelmir, a sua empresa precisa aderir, voluntariamente, ao programa, para você ter acesso ao Vale-Cultura. Poderão participar empresas públicas e privadas que declarem imposto de renda com base no lucro real. O benefício é de R$ 50 mensais concedidos prioritariamente aos trabalhadores que recebem até cinco salários mínimos por mês, para gastar em cinemas, teatro, livrarias e outras áreas culturais. Ele foi criado para apoiar o acesso da população à cultura e é semelhante ao Vale Transporte ou ao Vale Refeição. Os beneficiários com renda de até cinco salários mínimos terão um desconto mensal máximo de R$ 5 no contracheque. Acima dessa renda, o desconto será progressivo, de R$ 10 a 45. A empresa poderá deduzir o custo do seu imposto de renda a pagar, limitado 1% do imposto devido. As empresas e os produtores da área cultural interessados em receber pagamentos com o Vale Cultura também deverão fazer sua adesão. O benefício será pago em um cartão magnético e não será permitida sua troca por dinheiro. Com o Vale Cultura, Joelmir, os trabalhadores terão mais acesso à produção cultural e os produtores terão um público maior para prestigiar as suas atividades.

Mensagem da Presidenta Dilma sobre a redução das tarifas de energia elétrica

Caros leitores, desde o dia 24 de janeiro as tarifas de energia elétrica estão mais baratas. A redução foi de pelo menos 18% para os consumidores residenciais e de até 32% para a indústria, a agricultura, o comércio e os serviços (veja o percentual exato de queda, por concessionária). É uma redução concreta. Isso significa que as futuras atualizações tarifárias previstas nos contratos das distribuidoras incidirão sobre uma base menor, e não sobre a tarifa que vigorava antes do dia 24 de janeiro. Nós garantimos a diminuição mesmo para quem mora nos Estados atendidos por empresas que não aceitaram o acordo proposto pelo Governo. O barateamento da energia soma-se a outras medidas que já adotamos para baixar os custos das empresas e das famílias, ampliar o investimento, aumentar o emprego e garantir mais crescimento para o país. Também continuamos trabalhando para dobrar, em 15 anos, nosso parque gerador de energia, que hoje é de 121 mil MW. Em 2013 colocaremos em operação 8,5 mil MW de capacidade nova de geração e 7,5 km de novas linhas. Portanto, temos e teremos energia das mais diversas fontes para assegurar o crescimento do Brasil, a redução das desigualdades regionais e a melhoria da qualidade de vida de todos.

Fonte: Secretaria de Imprensa da Presidência da República|Departamento de Relacionamento com a Mídia Regional
[foto: Arte sobre fotos de Roberto Stuckert Filho/PR e José Cruz/ABr]

Índice

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Documento sem título
Considere contribuir com nosso trabalho

Últimas no FarolCom

Veja também

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest