CaldoQuantico   Holopraxis   CQL   CreSentes   DNAtos   PARCEIROS   EXPEDIENTE   ANUNCIE   PRIVACIDADE E USOS  
Capa Geral Caderno 1 Caderno 2 Caderno 3 Caderno 4 Blogs Links Úteis Meteorologia
Instituto Eu Quero Viver
domingo, 22 março, 2009 17h41

Dia Mundial da Água: mundo está longe de acesso adequado a saneamento, diz relatório

   
Fotomontagem / FarolCom
Água potável e saneamento básico ainda são ausentes ou de difícil acesso. Desafio para os Objetivos do Milênio

O acesso a serviços como água potável e saneamento básico continua inadequado na maior parte dos países em desenvolvimento de acordo com o 3º Relatório das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Mundial dos Recursos Hídricos, divulgado no 5º Fórum Mundial da Água, que encerra hoje (22), em Istambul, na Turquia.

De acordo com as perspectivas apresentadas no documento, em 2030, cerca de cinco bilhões de pessoas, 67% da população mundial, vão continuar sem esgotamento sanitário, se o cenário atual for mantido.

Dessa forma, a perspectiva de alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) relativos à água em 2015 é ao mesmo tempo promissor e alarmante. De um lado, a atual tendência leva a crer que 90% da população terá acesso a boas fontes de água potável no prazo estipulado; de outro, o progresso em termos de esgotamento sanitário, deve continuar insuficiente.

O objetivo estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2000 é reduzir pela metade, até 2015, o percentual da população sem acesso sustentável a uma fonte adequada de água potável e a saneamento.

No que diz respeito à água potável, o mundo como um todo está próximo de alcançar as metas establecidas nos ODM, a não ser pela África Sub-Saariana, onde cerca de 340 milhões de pessoas ainda não têm acesso ao recurso natural.

Contudo, o mundo está longe de alcançar o objetivo de saneamento. Somente na África, meio bilhão de pessoas não têm acesso a esgotamento sanitário. De acordo com a ONU, os esforços devem ser redobrados para superar esse atraso.

Segundo o relatório, a ligação entre pobreza e recursos hídricos é obvia, pois o número de pessoas que vivem com menos de U$ 1,25 por dia coincide, quase que totalmente, com o número daqueles que vivem sem água potável.

O principal impacto dessa situação é observado na saúde, de acordo com os autores do documento. Quase 80% das doenças em países em desenvolvimento estão associadas à qualidade da água e causam cerca de três milhões de mortes por dia.

Agência Brasil

Saiba mais no Caderno Água


Material jornalístico passível de direitos autorais.
Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes.
Antes de reproduzir por qualquer meio, consulte sobre autorização
Leia também nossos Termos de Uso e Serviço
Preços, prazos e links podem sofrer alteração e correpondem ao dia em que o material foi publicado

Últimas no FarolCom

   
FarolCom no Pinterest
Brasil no Google Maps
Água
Meteorologia