CaldoQuantico   Holopraxis   CQL   CreSentes   DNAtos   PARCEIROS   EXPEDIENTE   ANUNCIE   PRIVACIDADE E USOS  
 
CAPA | GERAL | CADERNO 1 | CADERNO 2 | CADERNO 3 | CADERNO 4 | BLOGS | LINKS ÚTEIS
COP 15
 
 
 
 
 

Leia mais em:
-COP 15
-Campanha Global de Ações pelo Clima
-Meio Ambiente

 

WWF: proposta da União Europeia para redução de gases é fraca e sem transparência

quarta-feira, 9 dezembro, 2009 18:40

Roberto Maltchick
Enviado Especial

Copenhague (Dinamarca) - A organização não governamental WWF anunciou hoje (9), durante a 15ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15), um estudo para demonstrar a fragilidade da proposta da União Europeia (UE) destinada a reduzir as emissões de gases que provocam o efeito estufa. Os europeus chegaram à Copenhague dispostos a diminuir em 20% as emissões de gases até 2020, em comparação ao nível de emissões de 1990.

Segundo a WWF, a União Europeia deveria dobrar o esforço e alcançar uma redução de 40% das emissões. O estudo, assinado por dezenas de cientistas, entre eles os brasileiros Carlos Nobre, coordenador de Mudanças Climáticas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), e Luiz Pinguelli Rosa, secretário executivo do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, também aponta que a meta de 20% da UE seria “facilmente alcançada” pelos países europeus.

A WWF ainda alerta que os europeus chegaram à conferência sem nenhum compromisso de investir recursos nos chamados projetos de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação (REDD, na sigla em inglês), voltados para financiar o combate ao desmatamento, principal aposta do Brasil para contribuir no combate ao aquecimento global.

De acordo com Sthephan Singer, cientista da organização não governamental, além de “fraca”, em termos numéricos, a proposta dos europeus não é transparente. “A União Europeia ainda não apresentou os projetos que possam levar a redução dos níveis de emissões nos parâmetros apresentados”, afirmou.

A delegação da União Europeia culpou hoje a China e o G77, grupo de países do qual o Brasil participa, pelo entrave em parte das negociações. De acordo com os representantes europeus em Copenhague, essas nações não permitem o avanço do diálogo a fim de que se alcance um acordo para controlar as emissões de gases no mundo em desenvolvimento.

Edição: Juliana Andrade
Agência Brasil


Material jornalístico passível de direitos autorais.
Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes.
Antes de reproduzir por qualquer meio, consulte sobre autorização
Leia também nossos Termos de Uso e Serviço
Preços, prazos e links podem sofrer alteração e correpondem ao dia em que o material foi publicado

outros destaques:

DNAtos

Caldo Quântico

Brasil no Google Maps