Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

| Dengue, Zika e Chikungunya no Caderno Saúde |
A sociedade mobilizada para vencer essa luta

Ambiente | Energia | Lixo | Água | Mariana

Ecopontos, Feiras-Livres e outros serviços em Uberlândia
quinta-feira, 04 Junho, 2015 - 22h02

Ocupação desordenada ameaça Lagoa Várzea das Flores

Manancial responsável pelo abastecimento de 10% da população da RMBH está cada vez mais poluído.

   

A ocupação desordenada foi apontada como principal causa da poluição e do assoreamento da Lagoa Várzea das Flores, localizada entre Betim e Contagem (Região Metropolitana de Belo Horizonte).

A situação da lagoa foi tema de audiência pública da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) na manhã desta quarta-feira (3/6/15).

Os convidados presentes salientaram que é preciso um esforço conjunto de vários órgãos, como o Instituto Estadual de Florestas (IEF) e a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa).

Alair Vieira | ALMG
Comissão de Meio Ambiente debateu a preservação e revitalização da Lagoa Várzea das Flores, localizada nos municípios de Betim e Contagem

A Lagoa Várzea das Flores é responsável pelo abastecimento de água de 10% da população da RMBH, de acordo com o diretor de Operação Metropolitana da Copasa, Rômulo Thomaz Perilli. Ele explicou que a proximidade com a região consumidora faz com que o custo do transporte dessa água seja baixo, mas, em compensação, a poluição tem exigido cada vez mais gastos com o tratamento. “Temos cada vez mais que ampliar a estação de tratamento, buscar novas tecnologias, cada vez mais sofisticadas, para tornar a água potável”, disse.

Perilli afirmou, ainda, que a Copasa assinou um convênio de cooperação com a Usina de Itaipu para compartilhamento do programa “Cultivando Água Boa” e uma das prioridades será a preservação da Lagoa Várzea das Flores e suas nascentes. Para ele, a ocupação desordenada é a maior causa do aumento da poluição na lagoa. “Não podemos impedir o crescimento de Betim e Contagem, mas a ocupação precisa ser planejada”, disse.

A deputada Marília Campos (PT), uma das autoras do requerimento que deu origem à reunião, lembrou que o saneamento básico é uma realidade recente na região. “Nova Contagem, por exemplo, não tinha nenhuma infraestrutura, foi ocupada sem que antes fosse instalada a rede de esgoto”, disse. Segundo ela, cerca de 80 mil pessoas vivem na região. “E ainda há pressão por novos loteamentos, regulares e clandestinos”, completou a parlamentar.

Poder público deve atuar de maneira integrada

A necessidade de se atuar conjuntamente para resolver o problema foi destacada pelo diretor de áreas protegidas do IEF, Henri Dubois Collet. Ele propôs a construção de um espaço físico, a ser dividido por representantes do IEF, da Copasa, da Polícia Ambiental e das prefeituras de Betim e Contagem, para administrar a Área de Proteção Ambiental (APA) Várzea das Flores. “Cada um desses órgãos tem sua competência e precisamos da proximidade para discutir as questões do dia a dia e fazer efetivamente uma gestão compartilhada da área”, disse.

O deputado Dilzon Melo (PTB) disse que o objetivo da comissão e da ALMG com a audiência é exatamente criar o ambiente necessário para esse diálogo. “Só juntos nós vamos achar as soluções”, disse. O deputado Geraldo Pimenta (PCdoB) lembrou que é preciso que a população também se engaje nos esforços para manter a lagoa limpa.

O deputado Cassio Soares (PSD), por sua vez, lembrou que a Lagoa da Pampulha já foi fonte de água potável em Belo Horizonte e hoje a poluição inviabiliza o uso da água. “Não podemos deixar que isso aconteça com a Várzea das Flores", disse. O deputado Rogério Correia (PT) ressaltou que a APA Várzea das Flores foi criada em 2006 e até hoje não foi regulamentada. "Recuperar essa água e preservá-la será muito mais barato do que construir uma nova represa depois”, afirmou.

Levantamento – O secretário-adjunto de Meio Ambiente de Contagem, Geraldo Magela, afirmou que a prefeitura já está na fase final do trabalho de levantamento das casas construídas de forma irregular na região. O próximo passo, segundo ele, será trabalhar em parceria com o Ministério Público para resolver o problema.

Denúncias – O presidente da Associação dos Protetores, Usuários e Amigos da Represa Várzea das Flores, Ronner Gontijo, disse que falta comprometimento das prefeituras. Ele afirmou que há registros de caminhões-pipa da administração municipal retirando árgua das nascentes da região sem a devida outorga.

O deputado Ivair Nogueira (PMDB), que também assinou o requerimento para a reunião, disse que a coleta de lixo das prefeituras não é satisfatória e que muitas casas têm sido construídas na região já são planejadas para despejar esgoto na lagoa. O gestor da APA Vargem das Flores, Marcus Vinicius, por sua vez, afirmou que a APA não foi consultada para a liberação de nenhum empreendimento no local.

Turismo – A lagoa recebe um grande número de visitantes, especialmente nos fins de semana, e os moradores presentes divergiram sobre a necessidade de proibir o turismo no local. O presidente da Associação de Comerciantes da Orla, Fabiano Cruz, lembrou que 11 comerciantes estão no local há 28 anos e afirmou que todos estão comprometidos com a preservação da lagoa. “Somos apontados como culpados, mas plantamos árvores, limpamos nossas áreas, fazemos tudo da melhor forma para atender bem a todos. Por outro lado, não temos acesso a água e luz até hoje", disse.

Requerimentos – Ao fim da reunião, os deputados aprovaram vários requerimentos sobre o assunto tratado. Um deles é para a realização de visita à lagoa e outro, de nova audiência pública, no prazo de seis meses, para avaliar o andamento dos trabalhos de regulamentação da APA Várzea das Flores.

Imprensa ALMG

Saiba mais no Caderno Água

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Documento sem título
Considere contribuir com nosso trabalho

Últimas no FarolCom

Veja também

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest